arrow-right cart chevron-down chevron-left chevron-right chevron-up close menu minus play plus search share user email pinterest facebook instagram snapchat tumblr twitter vimeo youtube subscribe dogecoin dwolla forbrugsforeningen litecoin amazon_payments american_express bitcoin cirrus discover fancy interac jcb master paypal stripe visa diners_club dankort maestro trash

Carrinho de Compras



&Blog

Recomeçar: O que aprendi ao cuidar das minhas Plantas


Plantas_Curae_Blog


Olá, sou a Sofia, fundadora da Curae 🥰 Venho partilhar convosco a minha própria jornada de cuidado com as plantas e como me ajudaram a recomeçar este ano.

Com várias mudanças na minha vida, o inverno foi o verdadeiro convite ao recolhimento e ao recomeçar de que precisava. O que parecia ser um fecho de ano desanimador, fez-me voltar novamente a atenção para as plantas, as que me rodeiam em casa, a minha família alargada e por tantas vezes negligenciada. Recomecei assim o meu santuário, há tanto tempo adormecido pelas “prioridades” impostas nos meus dias.

Aqui vos deixo algumas reflexões às quais este santuário me fez chegar. Talvez ressoem em alguns de vós. Antes, agradeço-vos por nos trazerem ainda mais luz neste recomeço.

 

1. Healing Takes Time. É tão fácil querer saltar para o final, para aquele lugar onde tudo está bem novamente e as cicatrizes desapareceram. Mas as plantas não funcionam assim, e nós também não. As plantas vêm lembrar-nos de que a mudança leva o seu tempo e nada se resolve do dia para a noite.

Curar problemas nas nossas plantas leva tempo, e exagerar ou corrigir demais não acelera o processo. Assim é connosco. Precisamos de cuidar de nós mesmos, nas nossas várias dimensões, até estarmos prontos para recomeçar – leve o tempo que levar.

2. Checking Up the Basics. Não existem soluções que resolvam com eficácia uma praga, doença ou alteração indesejada numa planta, se as condições de cuidado que geraram esses problemas não forem resolvidas. Connosco, pessoas, é bem parecido.

Precisamos de nos certificar de que estamos a descansar e nutrir o corpo o suficiente, que somos amor (mais do que querê-lo) e de que a nossa mente, coração e corpo estão em sintonia. Não na perfeição, mas no caminho certo.

As plantas ensinam-nos a valorizar o progresso lento. Nutrir a natureza é compensador. Nutir a nossa mente também, e devemos “começar pelo início” – como temos cuidado de nós?

3. It's Now Time to Take the Leap. É desafiante aceitar que podemos ter negligenciado as nossas plantas – acreditamos ter feito tudo o que estava ao nosso alcance. Cometer erros não faz de nós pessoas menos boas e a culpa não existe no cuidado das nossas plantas.

O mesmo connosco: quando uma realidade nos dói, procuramos fugir à dor e evitar a responsabilidade na resolução do problema. Mas há que aceitar a realidade e saber que, na resolução, nem tudo está sob o nosso controlo.

Sempre iremos ultrapassar fases de luz e de escuridão (reconhecendo a beleza na escuridão) pelo que é importante acreditar que os momentos de dor e de frustração são terra fértil para darmos um salto de fé. Podemos olhar para os erros já cometidos e escolher reagir diferente - isso sim, está sob nosso controlo.

4. You'll Never Be Alone. As plantas são formas de vida. Com elas, nunca estamos verdadeiramente sós. Cuidarmos de outro ser vivo, que precisa de nós, faz-nos sentir úteis, transforma-se num momento meditativo,  e permite-nos focar e expandir conhecimento numa determinada área. É muito bonito também podermos partilhar esta paixão com tantas outras pessoas que se identificam com o amor pelas plantas.

Na vida, no geral, também nunca estamos sós. Os desafios que enfrentamos estão neste momento a ser partilhados por tantas outras pessoas, o que não faz deles menos importantes, mas ajuda-nos a relativizar. E juntos lá vamos curando as cicatrizes e recomeçando, com amor. Amor é Cura.

Se em algum momento te questionares sobre como recomeçar, sabe que tens aqui uma comunidade de pessoas como tu: que amam a natureza que as rodeia e que se preocupam em melhorar a forma como cuidam, de si e da natureza que as rodeia.

E tu – conta-nos: como é que as plantas te têm ajudado a recomeçar?

#sharingiscaring